Resenha: A Garota Que Você Deixou Para Trás

sexta-feira, 7 de março de 2014

A Garota Que Você Deixou Para Trás
A Garota Que Você Deixou Para Trás
de Jojo Moyes,
editora Intrínseca.

Parceiro Intrínseca

Quem acompanha o blog já deve ter lido alguma outra resenha de livros da Jojo Moyes. Conheci a autora com A Última Carta de Amor, que adorei – apesar da leitura demorar a “pegar no tranco”.

Depois de um início de relação bacana, com um livro envolvente e super romântico, veio Como Eu Era Antes de Você, uma das minhas leituras favoritas de 2013, que me emocionou e tocou profundamente.

Então, agora, Jojo tinha dois livros ótimos para comparação, o que costuma ser bastante ruim. Altas expectativas podem guardar grandes decepções… Mas, apesar de A Garota Que Você Deixou Para Trás ser o “menos melhor” (sic) dos três, conseguiu manter alta minha estima pela autora. ;)

Sophie Lefèvre vive em sua pequena cidade natal, na França, com os irmãos e os sobrinho. Junto com a irmã, cuida do Le Coq Rouge, o antigo hotel da família, mas que agora mal consegue servir uma xícara decente de café.

Subnutridos, com muitas dificuldades, mas lutando um dia após o outro, a família está em frangalhos como tantas outras, já que a I Guerra Mundial devastou suas cidades e arruinou suas vidas.

Mais que uma vida decente em Paris, um ou outro luxo e a paz, Sophie perdeu o marido, Édouard Lefèvre, enviado para enfrentar os alemães no front. E tudo o que restou de sua antiga vida foi um quadro pintado por seu amado, um artista à frente de seu tempo.

A Garota Que Você Deixou Para Trás, feito em sua homenagem e retratando-a em sua melhor forma, é a única lembrança que a liga a Édouard e sua fonte de forças para sobreviver enquanto espera o fim da Guerra e a chance de tê-lo de volta.

Só que as coisas se complicam quando o novo Kommandant dos alemães que invadiram sua cidade escolhe o Le Coq Rouge como novo ponto de alimentação dos militares. Sophie e sua família passam a ser alvo de desconfiança e, mais do que isso, de atenção indesejada.

Aos poucos a família passa a se alimentar melhor, apesar de trabalhar duro para os oficiais, e o Kommandant passa a ser mais que um mero carrasco e mandante, mas alguém que busca Sophie para conversar… E admirar A Garota Que Você Deixou Para Trás.

Desesperada para ter a chance de encontrar o marido, Sophie se vê envolvida em uma trama perigosa e complexa, que fará com que rompa seus próprios limites e ignore os próprios medos, gerando reviravoltas que terão consequências até muito tempo depois.

O ano agora é 2006, e Liv Halston é uma jovem viúva que vive em uma moderníssima construção com paredes de vidro e teto retrátil. A construção, criada por seu marido, abriga suas lembranças, dores e saudade, mas também guarda a melhor recordação que tem de David: um lindo quadro, de uma bela jovem, comprado durante sua lua de mel.

Durante uma saída ocasional, em uma tentativa de retomar a vida, Liv acaba bebendo um pouco demais e sendo assaltada em um bar gay. É quando Paul McCafferty, irmão do dono do lugar, entra em sua vida.

Paul é doce, lindo e gentil, o que deixa Liv um pouco confusa. Afinal, ontem mesmo ela estava sentindo falta de David… Como hoje poderia querer beijar esse homem?

Aos poucos, Liv vai se deixando envolver, mas ela jamais poderia imaginar que esse encontro inesperado fosse virar sua vida de cabeça para baixo e colocar em risco tudo o que sobrou em sua vida… Incluindo o legado de David e o quadro que tanto adora.

Com muitas reviravoltas, mistérios e surpresas, A Garota Que Você Deixou Para Trás é uma leitura muito bacana. Toda a primeira parte, narrada em primeira pessoa por Sophie, nos envolve e contagia de tal forma que é impossível largar.

A segunda parte, quando Liv aparece, é narrada em terceira pessoa e, apesar de apresentar personagens ótimos, demora muito mais para nos atrair. Liv é simpática, mas não empática em um primeiro momento. O relacionamento amoroso, diferente da primeira parte, é um pouco mais superficial e corrido.

Apesar disso, quando as duas histórias se cruzam e intercalam – como Jojo faz em A Última Carta de Amor – o livro fica realmente difícil de largar.

Mais do que entender o que aconteceu com o quadro, queremos e precisamos entender as pessoas por trás dele. E é aos poucos, em um tribunal, que o quebra cabeças começa a ser completado de forma emocionante e surpreendente.

Com muita emoção, delicadeza e habilidade, Jojo Moyes constrói uma história interessante e envolvente. Minha ressalva, de fato, é quanto aos personagens ligados à parte de Liv, onde o relacionamento poderia ter sido mais profundamente explorando – ao mesmo tempo, temos Mo, uma personagem ótima que conseguiu ajudar a dar um up nessa parte.

Por outro lado, toda a história de Sophie, sua família e seu marido compensam. É impossível não se emocionar e torcer por um final feliz para todos… Mas, principalmente, para A Garota Que Você Deixou Para Trás.

AH! Preciso apenas fazer uma ressalva sobre a capa… Como comentei aqui, acho que a ideia de explorar o mesmo modelo do livro anterior foi um pouco fail. É linda, sim, mas poderia ter bem mais a ver com a história, como os livros anteriores. Uma pena, mas marketing é marketing. :\

Para quem já é fã da autora, o livro está mais que recomendado! Para quem ainda não é, também vale a leitura. Meu queridinho continua sendo, disparado, Como Eu Era Antes de Você, mas esse novo livro já me deixou desejando o próximo loucamente. :)

14 Comentários em “Resenha: A Garota Que Você Deixou Para Trás”

Deixe um comentário




Se você está acessando o Livros & Bolinhos do seu celular ou tablet, para responder ao Captcha na versão móvel do site não é necessário arrastar a imagem da resposta, basta selecioná-la.

Powered by sweet Captcha