Filme: Peixe Grande e Suas Histórias Maravilhosas

Uma aventura do tamanho da vida
Peixe Grande e Suas Histórias Maravilhosas
Tim Burton é conhecido por ser um dos diretores que mais deixam “impressões digitais” em seus filmes, sempre marcados por uma dose aguçada de fantasia e climas fora do comum. No filme “Peixe Grande e suas Histórias Maravilhosas” (Big Fish, no original), não foi diferente.

O filme é baseado no livro do escritor americano Daniel Wallace “Big Fish: A Novel of Mythic Proportions” e conta a trajetória de Edward Bloom, um grande contador de histórias que acaba despertando a mágoa de seu filho, Will Bloom, por nunca ter ouvido uma história real sobre a vida de seu pai. Assim, quando descobre que o pai está internado entre a vida e a morte, Will, já casado, decide voltar para casa de sua família com o objetivo de tentar conhecer o pai verdadeiramente.

Edward Blom é muito conhecido pelas fantásticas histórias sobre a jornada de sua vida. Seus relatos contam com a participação de gigantes, bruxas e outras criaturas estranhas que ele diz terem feito parte de sua biografia. O próprio título do filme aparece como uma metáfora da magnitude de Edward: um homem com uma imensa energia e um grande prazer em viver. Assim como um grande peixe, ele não suporta a idéia de ser confinado em um aquário pequeno demais para suas grandes dimensões.

Peixe Grande e Suas Histórias Maravilhosas
Outras metáforas são exploradas pelo filme de uma maneira belíssima, como na cena em que Edward descreve como viu a esposa, Sandra Bloom, pela primeira vez. Ele diz: “O tempo pára quando conhecemos nosso verdadeiro amor” enquanto a cena congela e leva esse conceito ao pé da letra. Não podemos deixar de destacar também a perfeita fotografia do filme que confere um clima apropriado para cada seqüência, das assustadoras às românticas.

O ponto central do filme é quando Will acaba percebendo, aos poucos, que são justamente as histórias fantasiosas de seu pai que os definem e que elas revelam muito mais de sua personalidade do que se ele relatasse sua vida puramente como ela é. Talvez Edward tenha criado essas histórias por ter passado parte da infância preso na cama, ou talvez para simplesmente tentar divertir o filho. E é ai que o longa se mostra especial, pois retrata muito bem essa bonita trajetória de aceitação e compreensão entre pai e filho. Além disso, o longa também brinca com os nossos limites entre a realidade e a imaginação, muitas vezes reprimidos por nós mesmos.

Se existe uma palavra que eu posso usar para definir esse filme, certamente é sensibilidade. Poucos filmes conseguem emocionar e nos fazer refletir sobre um assunto tão próximo da gente, as nossas relações familiares. Quantas famílias não passam por situações semelhantes a Edward e Will? Pais e filhos que não se compreendem ou não se conhecem, pois, apesar de viverem sob o mesmo teto, estão presos demais em seus próprios mundos.

Ficha Técnica
Nome Original: Big Fish
País/Ano: EUA, 2003
Direção: Tim Burton
Roteiro: John August
Fotografia: Philippe Rousselot
Elenco: Alison Lohman (Sandra Bloom jovem), Danny DeVito (Amos Calloway), Steve Buscemi, Ewan McGregor (Ed Bloom jovem), Helena Bonham Carter (Jenny/Bruxa), Missi Pyle (Mildred), Jessica Lange (Sandra Bloom), Albert Finney (Ed Bloom), Billy Crudup (Will Bloom)

  1. Amanda Luna disse:

    Oii, fiquei curiosa para ver este filme!!!
    beijuuu

    http://www.sermulhereomaximo.com.br

  2. Jéssica Malta disse:

    Esse filme parece ser daqueles que me conquistam facilmente *_*
    Vou procurá-lo depois.
    Meninas, vocês escrevem muito bem. Parabééns, parabééns mesmo! :)

    'A Bookaholic World'

  3. Mirelli Lima disse:

    Oiii
    Acabei de conhecer seu blog e ja estou seguindo!
    Adorei a imagem que vc escolheu, chamou bastante atenção a filme. E Edward Blom é tudooo de bom!

    Beijos

  4. Débora Wachholz disse:

    Bom dia!

    Agradeço o contato, já incluí o seu blog na minha área de Parcerias.

    Um grande abraço e bom domingo,
    Débora
    http://www.amorporlivros.com.br

  5. Deze disse:

    Eu amo Tim Burton, mas esse filme eu nunca vi, e nem nunca me animei muito pra ver.
    Acho que é a falta do Johnny Depp hehe
    Mas preciso ver com certeza :)

  6. Malu disse:

    O que falar sobre esse filme: AMO,AMO,AMO. Tim Burton é expetacular, Ewan McGregor é maravilhoso, a trilha sonora e as imagens são lindas… conclusão: Nota 1000

  7. BeaSouza12 disse:

    A.M.O. Tim Burton e o filme é realmente incrivel :D e a Jéssica Malta tá muuuito certa : vcs escrevem muito bem :)
    beejo
    – Bea

  8. Etiene Rocha disse:

    Esse filme é maravilhoso!!! Não sou super fã de Tim Burton, mas este filme e Edward Mãos de Tesoura estão são meus favoritos dele. Noiva Cadaver também é mtooo legal!!!

  9. eu sou apaixonada por esse filme. Choro só de lembrar. É magnifico, um dos melhores. A história, o contador de história, é maravilhoso. É como um livro de contos de fadas, só que no final se revela como verdadeiro. Ainda vou tê-lo! beijos!

  10. Kauana Gomes disse:

    PEIXE GRANDE *-* Não tinha visto essa resenha pois passei a seguir o blog, se não me engano, apartir de Setembro de 2010. Sou suspeita, pois acho Tim Burton O CARA, dos filmes que vi dele nenhum me decepcionou. Aproveitei para ler todas as resenhas do filmes, parabéns, são MUITO bem feitas. ADOREI.

  11. Francielle disse:

    Vi esse filme uns anos atrás, e me deu saudade.
    Tim Burton é realmente um gênio do cinema! Esse filme, realmente, é de uma sensibilidade incrível. Tão doce, leve, intenso! Lindo!

  12. Fanny disse:

    Tim Burton. Sempre Tim Burton. Se ele não te faz chorar de rir, te faz chorar de emoção. Nesse caso, fiquei com os dois.

  13. Karina disse:

    Vi esse filme e acho um dos melhores do Tim Burton, tudo nele é perfeito, as atuações, a trilha. a fotografia tudo.
    Parabéns pelo blog!!!

  14. Larissa disse:

    Tim Burton arrasa, sem duvidas. Esse filme marcou minha infância porque eu não entendia nada kk, então quando cresci mais tentei assistir novamente e tudo fez sentido. A emoção posta em cada cena faz vc realmente querer fazer parte da historia. Parabéns pelo post.

  15. Isabela disse:

    Eu realmente não podia deixar de comentar sobre este filme. Me lembro que ano passado, minha querida professora de Filosofia nos passou ele, fazendo grande propaganda sobre Tim Burton. O mais estranho é que além de eu nunca ter pesquisado sobre este grande Diretor, nunca consegui assistir o filme até o fim. Ela tentou nos passar umas três vezes, mas o sinal para trocar de aula sempre interrompia. E minha pequena ansiedade de saber o final nunca me deixou velo por inteiro. Mas depois de ler esse poste, com certeza minha vontade e curiosidade em me deliciar nessa história aumentou. Obrigada pelo poste querida; Abs.

  16. Marina Chagas disse:

    Assisti esse filme no cinema a muito tempo e me emocionei bastante. Não fazia ideia de que esse era um filme do Tim Burton, afinal estou mais acostumada a ver as parcerias dele com o Johnny Depp e jamais passaria pela minha cabeça que este fosse um filme dele afinal, apesar da comédia o filme tem um lado dramático muito forte que levanta muitas reflexões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *