Resenha: A Escolhida – O Doador de Memórias #2

escolhida_2014-10-07.indd
A Escolhida – O Doador de Memórias #2
de Lois Lowry,
editora Arqueiro.

Editora Arqueiro

Quem leu minha resenha de O Doador de Memórias pôde perceber o quanto gostei da história e do universo criado por Lois Lowry. A forma como a sociedade foi retratada, os personagens, as descobertas e as reviravoltas me ganharam de cara, e logo fiquei ansiosa pela continuação.

Acontece que, para minha surpresa, A Escolhida não é uma continuação do primeiro livro, mas uma história completamente independente – pelo menos por enquanto – , com lugares e personagens completamente novos. Fiquei com um pouco de receio, mas, apesar de algumas ressalvas, devorei o livro em poucas horas – e já estou doida pelo próximo.

Nascida com uma perna “torta”, Kira estaria destinada ao Campo de Partida e seria rapidamente eliminada da sociedade, como todos os outros que nascem ali com alguma deficiência. O que a manteve a salvo foi a força de sua mãe, Katrina, que prometera que sua filha não seria um fardo para ninguém.

Com a morte repentina da mãe, uma bordadeira talentosa, a jovem se vê completamente sozinha – afinal, seu pai se fora há muito tempo – e ameaçada por seus vizinhos hostis. Sua única chance de salvação está nas mãos do Conselho de Guardiões mas, apesar de esperançosa, ela jamais poderia prever o que estava por vir.

No lugar de lutar ferozmente pela vida, Kira recebe a oportunidade de restaurar uma túnica centenária, usada por um Cantor no dia da Congregação, o evento mais importante do vilarejo. Aquele pedaço enorme de tecido conta toda a história do mundo e, antes, era restaurada por sua própria mãe! E foi seu dom único e especial que fez com que o Conselho acreditasse que ela era a pessoa certa para continuar e ampliar o trabalho.

Sentindo-se honrada, mas igualmente preocupada, ela aceita a missão e passa a morar no único prédio do lugar, não dependendo mais de seus vizinhos mesquinhos para nada. Além disso, ali ela conhece Thomas, um talentoso e jovem entalhador encarregado de restaurar o cajado que o Cantor também usava.

Só que, com o passar do tempo, junto com Thomas e Matt – um garotinho espevitado do vilarejo que era seu único amigo -, Kira começa a descobrir que nem tudo que sempre acreditou era o que parecia, e que o mundo que conhece pode ser muito diferente do que querem que ela acredite. Confrontada com essa nova realidade, ela precisará decidir entre continuar a viver naquele mundo ou chacoalhar a ordem existente em busca de algo maior.

O livro, basicamente, é isso. O que é esse “algo maior” e melhor? Não sabemos. Diferente do primeiro livro – é uma série com quatro -, o final não é determinante, apenas dá indícios do que acontecerá a seguir. Com Jonas nós, ao menos, sabemos o caminho que ele escolheu percorrer. Aqui fica tudo nas entrelinhas.

O ritmo é mais lento, também, e os acontecimentos não são tão impactantes. É como se fosse um recorte daquela sociedade, mas que precisa de um algo mais para estar completo… E esse algo mais vem no terceiro livro, que será uma espécie de fusão de alguns personagens do primeiro e do segundo. Isso pode acabar tornando o livro menos atrativo para as pessoas que ainda não começaram a série, mas eu, particularmente, acho que vale investir.

A Escolhida não é um livro que se seguraria por si só, mas é perfeito como mais uma parte de um universo maior. A leitura é fluida e rápida, e conseguimos sentir simpatia pelos personagens e desejar muito que a vida deles seja melhor. Para quem gostou de O Doador de Memórias, como eu, tenha em mente que esse volume não parece estar diretamente ligado a nada que existe no primeiro, mas, como eu, confiem que a autora vai saber amarrar tudo no próximo!

Além da capa linda e da leitura gostosa, o livro é perfeito para quem curte uma distopia sem pegadas românticas, mais focada em indivíduos e sociedades. O que a autora nos apresenta aqui é bastante chocante, mas nada muito longe do ponto ao qual podemos chegar. Uma boa continuação para uma série que me conquistou logo de cara. Quero mais! :)

  1. Rodrigo disse:

    Não sei, não, mas eu acho chata uma série cujos livros são independentes uns dos outros. É legal quando esperamos pelo próximo para saber o que vem pela frente. Ainda assim, confio em você, suas opiniões sempre condizem com o que eu acabo achando de um livro.

  2. Elida Malheiros disse:

    Oie Juh, tudo bem ? Não sei se a capa tem algo a ver com a história, mas eu acho a capa original MUITO mais bonita, desculpa :D. Confesso que estou muito curiosa pela série e ainda não li esse, porém li o doador e amei. O que me deixa meio desanimada é que não encontrei em nenhum lugar alguma informação sobre quando o 3º livro vai ser traduzido, nem se ele tem uma data de lançamento. Mas no geral, partindo do principio que eu gostei muito do primeiro livro, espero de verdade que esse siga o mesmo padrão. Confio muito na sua opinião e já ia dar uma chance ao livro, agora estou muito mais curiosa hahaha.

    Beijinhos Juh :*

  3. Gleydson disse:

    Eu já li o primeiro livro da série, e vou ler o segundo em breve. No primeiro, muitas coisas não foram esclarecidas, e eu espero que no segundo elas sejam. Beijos!

  4. Felipe disse:

    eu acabei de lé a escolhida , me preocupei não tinha pesquisado sobre segundo livro então me pegou de surpresa , ser uma historia com novos personagens e uma nova trama …. não achei ruim amei a sequencia , e algo novo tamos costumados ter uma sequencia do começo da historia e bom renovações .. espero que terceiro misture realmente os personagens se vcs verem eles vive em um mondo diferente 1- e mais moderno outro 2- e caipira um mundo simples vive de caça .. e interessante esta jogada da escritora ..

  5. Nadja disse:

    OI! Eu li O Doador de Memórias e me apaixonei pelo livro,a té hoje acho que não lerei um tão bom, ou ao menos igual. Não sabia que esse era uma continuação da série e fico triste por não dar continuidade ao primeiro livro, mas se não é assim devo entender que a autora acreditou ser melhor encerrar ali o primeiro, talvez foi o melhor a ser feito.

  6. Amanda disse:

    Por favor galera, alguém sabe quando saíra o próximo livro da serie? Fiquei sabendo que se chamará ‘O Mensageiro’ e irá revelar os mistérios do ‘O Doador de Memórias’ e ‘A Escolhida’.

  7. Marcelo disse:

    Nossa! a primeira vez que ouvi falar sobre O Doador de Memórias foi este ano, mais precisamente há duas semanas quando assisti, pela primeira vez, o filme através do Netflix. Curti MUITO e acabei indo atrás do livro, que acabei lendo em poucas horas e comecei a procurar pela sequência. Lendo agora sua resenha confesso que estou com um pouco de medo sobre como tudo isso vai terminar, tanto nos livros quanto nos cinemas… Aliás, alguém saberia dizer se haverá continuação do filme?

  8. Irineu Nascimento disse:

    Oi, gostei muito da sua resenha, parabéns!! Eu ñ li o Doador de Memórias, mas ja vi o filme. Tenho o A Escolhida em mãos, posso lê ele, sem lê o outro? Vou consegui entender so com o q eu sei do filme?
    Desde ja agradeço!!

  9. Marina C. Rezende disse:

    Li os 4 livros. Gostei de todos. E no último, são esclarecidos todos os mistérios. Adorei o foco da autora e acho que a série deveria ser adotada aqui para debates nas escolas como é nos Estados Unidos.

  10. Marina C. Rezende disse:

    Li em inglês. Pena que ainda faltam as traduções dos 2 últimos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *