Fingi que não li #1

Pois é, ano novo e um monte de ideias antigas saindo do papel… No mês passado tivemos uma nova coluna – Li, gostei, mas não resenhei – e decidi, nesse mês, fazer uma coisa parecida, mas ao contrário!

CALMA, o título não é literal! Não são livros que vou passar a vida fingindo que não li (bem, não todos HAHAHA), mas livros que li, não gostei muito e perdi a vontade de resenhar de tanto que enrolei pra fazer isso. Com esse espaço novo, finalmente vou poder tirá-los da sombra e explicar melhor o motivo de não ter curtido tanto e, consequentemente, de ter “fingido que não li”. ;)

Espero que gostem da ideia, que busca ser bastante respeitosa, mas também saibam lidar com opiniões diferentes, ok? O espaço é livre para discussão, mas desde que seja muito bem educada. Agora, chega de papo furado e vamos lá!

The Casual Vacancy

Sinopse: Quando Barry FairBrother morre inesperadamente aos quarenta e poucos anos, a pequena cidade de Pagford fica em estado de choque. A aparência idílica do vilarejo, com uma praça de paralelepípedos e uma antiga abadia, esconde uma guerra. Ricos em guerra com os pobres, adolescentes em guerra com seus pais, esposas em guerra com os maridos, professores em guerra com os alunos… Pagford não é o que parece ser à primeira vista. A vaga deixada por Barry no conselho da paróquia logo se torna o catalisador para a maior guerra já vivida pelo vilarejo. Quem triunfará em uma eleição repleta de paixão, ambivalência e revelações inesperadas?

 

Aí você vai falar: mas COMO ASSIM?! É J.K. Rowling! /o\
Sim, minha gente, é a diva-mãe criadora de Harry Potter – que amo de paixão, mais do que posso descrever – e que me deixou super nervosa com o anúncio desse lançamento. Tanto que, no dia que ficou disponível, baixei no kindle e tentei devorar… Vejam bem: tentei.

Minhas expectativas eram, obviamente, altíssimas. Mas, oh, que decepção! Me arrastei na leitura dos primeiros 50% com muito sofrimento, era realmente um esforço gastar meu tempo na leitura. Tanto que, assim que cheguei à metade, deixei o livro um pouco de lado.

Depois de superar a grande decepção inicial, voltei a encostar no livro e devorei a outra metade – mas não porque melhora, mas porque tinha virado questão de honra.

O negócio é que a história é bastante simples, então dependeria de personagens muito fortes para se sustentar. E não é isso que acontece. 90% dos habitantes de Pagford são insuportáveis, egoístas, mesquinhos e rasos, zero profundidade em suas motivações, o que, por consequência, não me motivava a ler.

Para não dizer que não gostei de nada, assumo que o final foi mais legalzinho que todo o resto e que o humor negro e britânico que ela utiliza é, às vezes, interessante. Mas minha sensação geral era de uma prosa forçadamente adulta, com inserções de palavrões e termos mais chulos sem muito contexto; como se ela quisesse dizer “olha só o que eu posso fazer” fora do universo juvenil.

Por tudo isso (e ainda mais) ainda não tive coragem de encostar nos outros livros adultos dela, os que ela lançou sob o pseudônimo de Robert Galbraith. Mas acho que, um dia, talvez, se eu me tornar uma pessoa mais ousada, pretendo dar mais uma chance. Talvez ela tentando fugir do “estigma” de ser J.K. Rowling a coisa tenha dado mais certo… Com The Casual Vacancy não rolou. :(

AH! Aos interessados, no Brasil o livro saiu como Morte Súbita.

  1. Ana Clara disse:

    Oi Juh!

    Então, “Morte Súbita”… Uma das minhas maiores decepções literárias da vida. Também li por questão de honra. Fiquei tão triste por não ter gostado, porque o livro é da J.K., que quase não li os livros que ela lançou como Robert Galbraith. Mas preciso te dizer uma coisa: nesses ela conseguiu mostrar que é rainha. Acho que você deve tentar ler.

    Beijo!
    http://www.roendolivros.com/

  2. Ana disse:

    Oi Juh!!!
    Tenho esse livro em casa já faz um bom tempo. Li as primeiras 20 páginas e já passei pra outro. Ele está na minha lista de livros q vou retomar e ler inteirinho (tb por questão de honra, rss).
    Mas depois desta coluna ele foi mais pra baixo ainda da lista.
    Beijos

  3. Rodrigo disse:

    Eu não gostei das partes dos palavrões e dos termos chulos. Minha leitura foi arrastada; não por causa da história, mas porque o livro é um pouco grande. E como já falei em algum canto desse blog XD, não soube formar uma opinião, porque eu não conheço a J. K. Rowling de HP.

  4. Jessie disse:

    Oi Oi :)
    Até agora ainda não tive coragem de ler esse livro. Adorei o outro livro que ela escreveu com o pseudónimo de Robert, mas esse, por conta de tantas resenhas negativas como essa, ainda não tive vontade alguma.
    Beijo
    http://www.fofocas-literarias.blogspot.pt

  5. Rosana Lammers disse:

    Olá Juh! Eu ainda não tive coragem de pegar esse livro… Eu também AMOOO demais HP <3 Porém comecei a ler O Chamado do Cuco e tive que parar.. não é que era ruim, mas achei tãooo fraquinho, não consegui me animar.. Adorei as duas novas colunas! Bjoos

  6. Daniele Angelina de Aquino disse:

    Oi Ju ! Gostei muito dessa coluna. Poxa, que decepção rsrs ..Não entrará na minha lista de leitura .

    beijos

  7. Engraçado que mesmo com o nome da JK fazendo aquele ar no livro, eu desde o início não gostei dele. kkkkk
    Criei abuso e não peguei pra ler e pelo visto tinha razão.
    bjks

  8. Aline T.K.M. disse:

    Acho que sou uma das poucas que realmente amou esse livro. Morte Súbita foi, para mim, uma grata surpresa, e sabe que o que mais gostei nele foi justamente o fato de os personagens terem mais características negativas que positivas, de serem pessoas que deixam os interesses pessoais dominarem (e alterarem) seu caráter e suas atitudes. Gostei infinitamente mais de Morte Súbita que de O Chamado do Cuco; ainda não li o mais recente, O Bicho-da-Seda. Enfim, é bem questão de gosto mesmo, mas eu honestamente desejei (e ainda desejo) que Rowling volte a escrever novamente algo nessa pegada de Morte Súbita.

    Beijinhos, Livro Lab

  9. JUH, gostei muito dessa ‘não-resenha’ e vou falar dela no meu blog – que tem justamente o objetivo de falar de outros blogs.
    (blogselivros.com.br) Geralmente acontece o contrário: alguém que finge ter lido um livro… rsrs.

  10. Matheus Melo disse:

    Olá, boa noite. Suas postagens são excepcionais, para quem gosta de literatura é sempre bom. Sou autor da trilogia “Tudo por você, Lett”. E fico feliz por ver alguém como você, continue assim.

    Grande abraço.

    http://autormatheusmelo.com

  11. Elida Malheiros disse:

    Oieee Juhh! Estou de voltaaa \O/ estava viajando, por isso dei uma leve sumida :) Quanto ao morte súbita eu não li e não tenho um pingo de vontade de ler, estou sendo bem sincera mesmo. Baixei um PDF dele, dei uma lidinha sem compromisso, depois dei uma olhada em algumas resenhas e ninguém gostou. Talvez por esse motivo ela tenha lançado O Chamado do Cuco com o nome do Robert, pois esse livro foi o fracasso total! Desculpa J. K., eu sou sua fãzona, tenho os livros do HP, sou apaixonada pela universo que você criou, mas eu não comprarei seu livro. Porém, alguém deve ter gostado e desde já peço desculpas se ofendi algum leitor. Só garanto que esse livro da diva da J. K. eu não vou ler.

  12. Eveline Thalita disse:

    Oi Juh!!

    Pois é, de vez em quando um autor que a gente ama, escreve um livro lá não muito bom. Isso já aconteceu comigo com Nicholas Sparks, mas superei e sempre leio o que ele lança. Ainda não li nada da J.K. Rowling (pasme!!!) mas algum dia, possa ser, que eu queira.
    Ah!! Achei bem legal essa nova coluna, vai ser muito bom entender melhor porque você não gostou de alguns livros.
    Cheia de novidades!!!

    Abraços

  13. Maria disse:

    Sempre vejo comentários negativos a respeito desse livro. Tanto é que até hoje não tive vontade de lê-lo. Li só “O Chamado do Cuco” e no início me decepcionei, achei o protagonista chato e o desenrolar da história muito devagar, porém tive uma grande surpresa no decorrer da leitura. Espero poder ler Morte Súbita e tirar minhas conclusões no final.
    Beijos!

  14. Raiane disse:

    Juh, vi que você comentou que ainda não teve coragem de ler os livros que ela escreve sob o pseudônimo de Robert Galbraith. Eu li recentemente O Bicho da Seda, sucessor de O Chamado do Cuco. Como nunca li HP não posso fazer comparações mas, sinceramente AMEI de paixão O Bicho da Seda, apesar de ter um começo meio chato a história é incrível, muito bem escrita na minha opinião e tem um final surpreendente, passadas as primeiras páginas eu já não conseguia largar o livro. Recomendo com certeza!

  15. Fernanda disse:

    Acabei de terminar de ler Morte Súbita e apesar da leitura um pouco arrastada achei o livro muito bom! Acho que mostra a “verdade nua e crua” de uma pequena comunidade. O que as pessoas realmente pensam sem o “politicamente correto” que querem mostrar. Pessoas com visões diferentes, mesquinhas, fracas, invejosas, que não gostam de ninguém mas sempre querem que todo mundo goste delas, etc. Com certeza alguns personagens são odiosos. Outros, apesar dos defeitos, ganharam a minha simpatia. Achei os personagens que tivemos acesso ao seus pensamentos/sentimentos bem desenvolvidos, pena que alguns ficaram de fora e foram um certo mistério pra mim.
    Quanto aos palavrões, eu sempre acho estranho escritos em livros, até linguagem coloquial. Mas acho que se justifica, pois aparecia nas falas dos moradores de Fields e dos adolescentes.
    Morte Súbita não é um livro fácil de gostar. Não viramos uma página atrás da outra pra saber o que vai acontecer (pra mim a exceção foi quando começaram a surgir as mensagens no site do Conselho). Não tem ação e raros são os momentos engraçados. Também não é uma história de amor, com finais felizes. É um livro pra refletir, é um retrato da sociedade.

    • Juh Oliveto disse:

      Fernanda,
      Acho que existem outros livros que fazem um retrato muito melhor. Diferente de você, achei tudo extremamente forçado, nada natural e exagerado quase ao ponto de ser irreal.
      Mas MUITO obrigada por sua opinião, adorei saber que tem gente que pensa bem diferente! :D
      Beijocas!

  16. Nadja disse:

    Oi! Percebo que muitos se decepcionaram com esse livro, mas a expectativa era grande, ela escreveu uma série que vai ficar na história. Não me agradou muito a premissa do livro, acho que ela pode ter se perdido em alguma parte, quero pensar assim do que assumir que realmente ela pretendia que o livro ficasse assim. Beijo.

  17. Thaise disse:

    Só passado aqui para dizer que nunca lhe “condenaria”. Nem Harry Potter eu li. E não é por nadaaa bizarro, como não gosto e mimimi…Só não encontrei minha vontade de ler

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *